Inacreditável Vysočina, as Terras Altas tchecas com mais de mil vilas deliciosamente turísticas

Extensa rede de estradas, de ciclovias e de trilhas conectam vilas e cidadezinhas a partir de Jihlava, a maior e mais antiga cidade das Terras Altas tchecas, e levam a inesquecíveis atrativos incomuns. Impossível conhecer e não retornar.  

Por: Giorgia Marcucci

Publicado: Novembro 30, 2021

Em tcheco, Kraj Vysočina, em português, Região de Vysočina. Em qualquer idioma, a tradução deveria ser deslumbrante. Há muitos exemplos que justificam esse adjetivo, um deles a idade de algumas das montanhas da região. Elas estão ali há 350,5 mil anos, época que existia nesse nosso mundão tão somente o supercontinente Pangeia, nome escolhido pelos gregos, muitos séculos depois.

A região foi batizada por Vysočina porque ocupa porção substancial das Terras Altas da Boêmia-Moravia (Českomoravská Vysoké Země). O que a torna singular é a infinidade de atrações culturais, de lazer e de esportes que são oferecidas na quase totalidade das suas mais de mil vilazinhas, cada qual com seus apelos – os naturais, os usos e costumes e os criados para oferecer infraestrutura turística.


Foto: turismo de Vysocina

 

A principal cidade da região de Vysočina é Jihlava, a maior e mais antiga povoação das Terras Altas tchecas e uma das mais ricas à época do Reino Tcheco, graças, em especial, à mineração da prata. É dividida em duas partes pelo rio Jihlava – uma delas chamada Jihlava Morava e a outra, Tcheca. Na praça do Centro Histórico, o marco principal é a Igreja Jesuíta de São Inácio de Loyola. Próximo, estão a Igreja de São Jakub Větší, datada de 1257 e a Igreja da Assunção da Virgem Maria.

Foto: turismo de Vysocina

Em um dos lados, o Centro Histórico é delimitado pelo Portão da Mãe de Deus, único que restou dos cinco que, originalmente, davam acesso à então fortaleza, cercada por muros com altura de seis metros, protegidos por fossos e construídos em meados do século 13.

No século 18, a fortaleza e as fortificações foram demolidas e as torres, transformadas em habitações. No edifício do Portão da Mãe de Deus há acesso para torre de observação e recinto de exposições permanentes – reprodução de pinturas de Gustav Krum, intitulada ‘Da História de Jihlava’ e outra, que tem por foco o surgimento e o desaparecimento da fortificação.

A partir de Jihlava, aonde você encontrará o que espera de grande cidade – hotéis, restaurantes, boa gastronomia, por exemplo –, é fácil chegar à profusão de vilas da região de Vysočina, que são conectadas por densa rede de estradas, ciclovias e trilhas pedonais. Algumas são bem próximas a Jihlava, em distâncias que variam entre três a 10 quilômetros.

Ao visitar as vilazinhas das Terras Altas, você vivenciará o jeito de ser das famílias tchecas. Por exemplo, se visitar a região entre a segunda quinzena de setembro e a primeira de agosto, verá famílias tchecas com seus filhos a colher cogumelos nos bosques. 

Colher cogumelos é tradição familiar levada muito a sério, coroada por festas, concursos (maior quantidade, maior cogumelo, culinária) e com grande número de sites tchecos e associações dedicadas ao tema, espalhadas por toda a República Tcheca.  Nas Terras Altas, a cenoura também tem vez.

A ‘Peregrinação da Cenoura’, festa das mais tradicionais e concorridas na região, acontece anualmente na Vila Polná. Para chegar, não dá para ir a pé – a distância desde Jihlava é de 17 km. Se não quiser ir de carro ou transporte público, poderá ir pedalando – a ciclovia de acesso é bem cuidada.



A animada festa é repleta de diversão para as crianças e os adultos, de oferta de pratos tradicionais das Terras Altas, artesanato e outros produtos locais e, claro, sem número de iguarias à base de cenouras, inclusive o docinho que, garantem os organizadores, “você só poderá provar em Polná”.


Foto: turismo de Vysocina

Até aqui, não contamos um décimo das atrações das Terras Altas, que tem estâncias de esqui, agro turismo, vários centros para relaxamento e para diversão infantil, experiências gastronômicas oferecidas em excursões que partem de Jihlava e levam a fazendas, bistrôs familiares, passeios culturais e oferta de hospedagem em acomodações absolutamente fora do comum, mas que oferecem conforto. Em breve, voltaremos a abordar essa região incrível que é a orgulhosa sede da Área de Paisagem Protegida Želená hora, aonde estão preservadas as muralhas que, no passado distante, protegiam a Cidade Celta.

Canais relacionados

Natureza
Deixe-se levar pelo Moldava, o maior rio da República Tcheca

Seis seções turísticas ‘dividem’ o rio Moldava desde a nascente, na Šumava, até Mělník, onde se mistura ao Elba para seguir rumo ao Mar do Norte. Mas, antes de deixar Tchéquia, o Moldava abraça a Boêmia do Sul ao longo de 430 km e leva a desfrutar momentos inesquecíveis.

Cultura Cultura Natureza
Florestas tchecas de faias, patrimônio mundial, joia rara nos horizontes de Liberec.

Vilas bem próximas a Liberec dão acesso a trilhas e mirantes que descortinam as Florestas de Faias nas Montanhas Jizera, recente conquista da República Tcheca para figurar na lista do Patrimônio Natural Mundial da Unesco.

Experiencia de viagem Natureza Patrimônios
Oito lugares ideais para curtir com sua mãe na República Tcheca

Há quanto tempo você não viaja com sua mãe? Talvez tenha chegado a hora de dar a ela o que ela mais deseja: um tempo com o filho/a. Se está à procura de ideias para surpreendê-la, sugerimos locais perfeitos na República Checa, na medida certa para você desfrutar em companhia da melhor mãe do mundo.

Cultura Cultura Natureza