Visita ao Museu Becherovka, a casa do misterioso elixir de Karlovy Vary

A cidade de Karlovy Vary tem muitas atrações além do glamoroso Festival de Cinema. Uma delas é, sem dúvida, a visita ao museu do famoso licor de ervas Becherovka, verdadeira experiência interativa que o convida a colocar em prática todos os seus sentidos.

Por: Colaborador Convidado

Publicado: Dezembro 06, 2021

Além do famoso centro da cidade, suas fontes termais e áreas verdes, o glamoroso Festival de Cinema e até mesmo os casarões do início do século 20, Karlovy Vary tem duas atrações que podem ser grande pedida para os visitantes. Uma é a fábrica de cristais Moser, que fornece visão sobre como são feitos os mais luxuosos e bonitos produtos de cristal do mundo. O outro, ao qual dedicamos este artigo, é o Museu Becherovka, aonde teve origem o emblemático licor de ervas tcheco que alegra o paladar  há mais de dois séculos.

Visitar a casa aonde a fábrica original do Licor Becherovka - que nasceu para curar dores de estômago - permaneceu durante mais de cem anos é verdadeira experiência interativa, que tenta pôr à prova cada um dos sentidos do visitante.

As boas-vindas são proporcionadas por curto programa audiovisual que apresenta a história da empresa e, a seguir, há o tour detalhado de cada passo vencido por essa famosa bebida até se tornar uma das marcas registradas da República Tcheca e, principalmente, de Karlovy Vary.

 

Recipientes que fizeram história no Museu Becherovka

Com extenso material organizado de forma atrativa, um dos primeiros aspectos que chama a atenção no museu é a forma como cada um dos membros da histórica família Becher deu sua contribuição para o sucesso e, nesse sentido, constatação das mais interessantes é ver a evolução da embalagem de Becherovka  desde a versão básica, de 1807, semelhante a um tubo de ensaio, ao seu característico formato achatado e cor verde, cujas variações começaram a aparecer a partir de 1918.

Um dos elementos comuns à maioria dessas embalagens é o misterioso criptograma comercial da família Becher, o qual adorna o rótulo a garrafa desde os primórdios e permanece nos nossos dias, embora ligeiramente modificado. O rótulo aparece não apenas em garrafas e tradicionais xícaras de porcelana (outro clássico da Becherovka), mas em barris, papéis timbrados e outras peças comercializadas pela marca.

 

Segredo muito famoso

A fórmula Becherovka, que remonta a 1807 e é conhecida apenas por duas pessoas no mundo que, por exemplo, nunca podem viajar no mesmo avião, é um dos segredos mais bem guardados da história tcheca. Diz-se mesmo que a empresa tem feito encomendas frequentes de matéria-prima que, na realidade, não utiliza. Isso se dá com o único objetivo de confundir quem, de fato, tentou sem sucesso imitar a receita, agora protegida por lei.

O que sabemos é que a fórmula consiste em até vinte tipos de ervas e especiarias, alguns dos quais podem ser cheirados, dispostos em série de elementos expositores dispostos em todo o museu. Ao serem prensadas, elas proporcionam a que o sabor inconfundível da bebida se faça presente na forma de aromas. No museu, se desejar, você poderá trajar vestuário de época e ser clicado(a) por fotógrafo profissional. À saída, receberá o traje para levar como lembrança.

 

Experiências variadas no Museu Becherovka

Uma das grandes vantagens do Museu Becherovka é a oferta da grande diversidade de estímulos. No ambiente, que tem grande sucesso, se destaca a sugestiva iluminação. Cada uma das salas parece representar etapa do processo de produção de licores, o que requer vários dias e condições rigorosas.

Por exemplo, desde o painel dedicado à água de Karlovy Vary (um dos elementos fundamentais da receita) até o setor de realidade virtual, que permite vivenciar, minuto a minuto e garrafa a garrafa, o impressionante envasamento da bebida, o qual é feito em instalações na periferia da cidade.

Além do mais, o museu possui videogame do tipo Pac-Man,  baseado no licor de ervas e apresentação em forma de holograma, durante a qual alto executivo da empresa responde perguntas e inspira outras, no contexto de que, em algum momento, a história da marca Becherovka, que passou por crises e retrocessos, é também parte da história de Tchéquia, o país de origem desse licor de extraordinário sabor.

Becherovka mundial

O licor Becherovka é exportado desde a primeira metade do século 19, de início para Viena, Munique e Paris, hoje distribuída em quase todo o mundo. Antes de o Becherovka completar seu primeiro século de existência, sua produção já chegava a dezenas de milhares de litros por ano, tinha mais de dez mil importadores fiéis e marcava presença em inúmeras exposições mundiais.

O timbre cosmopolita do licor parece reger a grande ideia desse museu interativo que, na última sala, inclui mapa-múndi para que cada visitante acrescente autocolante (ali oferecido) com o seu local de origem e fazer parte da Comunidade Mundial Becherovka. Depois, é hora de colocar todos os conhecimentos em prática ou, melhor, ao paladar. Em bar moderno e confortável, representante da empresa oferece análise do catálogo completo do licor que, desde 2008, inclui versão cítrica com menor teor de álcool e, desde 2009, variante não filtrada.

Finalmente, resta esperar desesperadamente que os copos sejam enchidos para usufruirmos da degustação completa do itens do catálogo. Na zdravi (Saúde)!

 

Pode interessar a você...

História de duas bebida com a mesma linguagem

Do bistrô à cerveja, passando pela alta gastronomia tcheca Aproveite a República Tcheca com todos os 7 sentidos

Canais relacionados

Dica de local Sabores
Daniel Tylinger compartilha segredos de Praga

O diretor geral do Hotel Boutique Jalta, em Praga, revela segredos da cidade que o fizeram crescer na carreira e se dedicar ao turismo.

Dica de local
Funcionalismo, bat’a e singularidades de Zlín, cidade morava na República Tcheca

Zlín, cidade funcionalista nascida do espírito empreendedor dos irmãos Bat’a, é verdadeiro paraíso para amantes da arquitetura, mas não só. Outras singularidades contribuem para fazê-la destino imperdível.

Arquitetura Cultura Dica de local
Brno não é uma cidade. Brno é a minha casa

Wanda é conhecida em Brno como tatuadora Ashtray Heart, mas é também aluna e atual bolsista de turismo da República Tcheca na Espanha. Ela aproveita cada momento de sua estadia em Madri,e afirma ser cidadã de Brno, embora tenha nascido e vivido seus primeiros 19 anos na Eslováquia. Entende que o lar não é escolhido por nascimento, mas, se você tiver sorte, algum dia acabará por encontrá-lo.

Dica de local