Os segredos do cristal da Boêmia

Com história que remonta ao século 13 e auge alcançado durante os séculos 17 e 18, o cristal da Boêmia é um dos símbolos de excelência da Europa Central. Em especial na República Tcheca, famosas peças continuam a ser produzidas de forma inovadora.

Por: Colaborador Convidado

Publicado: Março 23, 2020

O que tem de especial o cristal da Boêmia?

Em primeiro lugar, a transparência absoluta, obtida pela presença de mínimos 24% de óxido de chumbo (PbO), o que aumenta o índice de refração da matéria-prima. Ao entrar, a luz ganha várias tonalidades, como quando atravessa um prisma. Então, se dispersa e adquire brilho espetacular. Lisas ou em relevos, esculturas delicadas e perfeitas são aplicadas às melhores peças. Tudo é artesanal - primeiro, o sopro, depois, as esculturas manuais.

As taças elaboradas a partir do cristal da Boêmia não contêm impurezas nos dois terços superiores do cálice. Porque eles são feitos inteiramente à mão, é possível que na outra das partes se hospedem algumas ‘bolhinhas’ - o que lhes confere ainda mais autenticidade. Em resumo, cada peça é única, diferente do restante dos objetos de cristal produzidos industrialmente na República Tcheca.

A história do cristal da Boêmia remonta ao século 13, mas alcançaria a sua idade de ouro durante os séculos 17 e 18. Tal ocorreu após Caspar Lehman, profissional cortador de gemas protegido do imperador Rudolf II, adotou uma nova técnica conhecida como corte profundo, com soma de cobre e bronze. Desde então, o cristal da Boêmia é um dos símbolos de excelência da Europa Central e, em especial, da República Tcheca. Neste país, continua a ser produzido de forma inovadora, com a colaboração de vários artistas.

Peças de autêntico cristal da Boêmia podem ser adquiridas em Praga, onde há fartura delas. Na capital tcheca é possível visitar uma fábrica, mas nada se compara a descobrir os segredos dessas peças excepcionais visitando no país os principais centros de produção, seus museus e, sobretudo, conhecendo as pessoas que as tornam realidade.

Você pode começar por Karlovy Vary, onde é sediada a fábrica de cristais Moser, há mais de 160 anos. Visitá-la equivale a conhecer o seu museu, e a observar a produção artesanal de maravilhosas peças. O mesmo se dá em fábrica de Poděbrady, a poucos quilômetros ao leste de Praga.

Outra parada essencial na Rota do Cristal da Boêmia é Jablonec nad Nisou, bem próximo a Liberec , a nordeste de Praga. O Museu do Cristal ali sediado é referência mundial. Sua programação inclui uma importante exposição trianual dedicada ao cristal. A mostra oferece vitrine excepcional da produção de peças de cristal na República Tcheca, e enfatiza a sua relação com joias e moda, além da decoração.

Na mesma região, vale visitar o Museu do Cristal em Novy Bor, um dos centros históricos de produção de cristal da Boêmia e sede do poderoso Crystalex. Perto, a fábrica de cristal e cervejaria Novosad & Syn Harrachov sro oferece a oportunidade de hospedagem em seu hotel, aonde os clientes são mimados no SPA, especializado em tratamentos com cerveja de produção própria.

Canais relacionados

Experiencia de viagem
Duas rotas muito recomendáveis (e próximas) a České Budějovice

Toda incursão ao sul da Boêmia que ‘vale o seu sal’ inclui Český Krumlov, mas não posso deixar de propor duas excursões imperdíveis, que satisfarão o desejo dos viajantes de se aprofundar em uma das regiões mais atraentes do país.

Experiencia de viagem
Paola Salas: amor, trabalho, magia e ar puro

Desde o Chile, aonde nasceu, à  Áustria, aonde conheceu o marido... e de lá a Praga, com um bom contrato de trabalho. Paola viajou alguns tantos quilômetros procurando realizar seus sonhos. Hoje, é diretora de vendas e desenvolvimento de negócios no Mandarin Oriental em Praga, "um esplêndido hotel em um lugar mágico". Ela  nos dá seus conselhos para nossa visita a Praga, incluindo uma fuga ao Parque Kampa, para respirar ar fresco.

Experiencia de viagem
Mariánské Lázně, um capricho dos reis ao alcance das mãos

Transcorreram dois séculos desde que os monarcas e a alta aristocracia da Europa, assim como os principais intelectuais e artistas da época chegavam a este balneário, em busca da saúde atribuída às águas de suas fontes.

Experiencia de viagem