Literatura tcheca, em português, para viajar sem sair de casa

Sugerimos cinco autores entre os mais festejados da República Tcheca, para você viajar nas asas da imaginação. Romance, ficção, costumes, sempre com pitadas alusivas a personagens e lugares em Tchéquia que, por certo, instigam a aguardar a oportunidade de ver para crer porque Tchéquia exerce enorme atração para turistas do mundo inteiro.

Por: Colaborador Convidado

Publicado: Abril 22, 2020

A seguir, nossas sugestões de literatura tcheca traduzida para o português não apontam dois dos maiores escritores tchecos, porque amplamente conhecidos no Brasil – Milan Kundera, que se projetou no nosso país com a Insustentável Leveza do Ser, e já tem, no mínimo, dez obras traduzidas em nosso idioma; e Franz Kafka, igualmente traduzido à farta, cujo conto A Metamorfose é uma das suas obras mais lidas entre nós. Demos espaço para escritores nem tanto conhecidos dos leitores brasileiros, porém, premiados e fartamente traduzidos para vários idiomas. Na web, você encontrará facilmente boas sinopses e resenhas, e poderá fazer aquisição virtual.  

Ivan Klíma
Nem Santos Nem Anjos
Editora Record – 2006

Três personagens convivem na escrita de Ivan Klíma, equilibrando suas emoções nos ambientes da alegre Praga pós-comunismo. A personagem central, Krystina, meia-idade, divorciada, é dentista, com longa bagagem de frustrações afetivas. A filha dela, Jana, adolescente, decide experimentar a vida punk, e o namorado, Jan, historiador, tem a essência marcada pela tortura sofrida pelo pai no antigo regime. Trata-se de romance intimista, de cunho humano, em cujas entrelinhas soa alto o teor político. O autor é sobrevivente de campo de concentração nazista.

Jan Neruda
Malá Strana – Vestígios de Praga
Editora Record – 2011

Com histórias do dia a dia, colhidas no cenário que abrigava os seus vizinhos no bairro Malá Strana, Jan Neruda nos oferece belo e multicor retrato de Praga, nos finais do século 19. Trágico e cômico passeiam nas páginas e, inclusive, personificam dois homens que se encontram em um café por vários anos sem nunca trocar palavra, até a irônica história do mendigo que morreu de fome após acusado de ser clandestinamente rico. Curiosidade: o escritor chileno nascido Ricardo Eliécer Neftalí Reyes Basoalto, por sua afinidade com Jan Neruda, aos 17 anos escolheu para si o nome Pablo Neruda, com convicção tal ao ponto de promover ação para modificar o nome civil. Voltando a Jan, a leitura de Malá Strana é deliciosa.

Jaroslav Hašek
As Aventuras do Bom Soldado Švejk
Editora Alfagara - 2014

Em tcheco, o título é Osudy dobrého vojáka Švejka za světové války (literalmente, As Aventuras Fatídicas do Bom Soldado Švejk). Este romance é o mais traduzido do gênero na literatura tcheca, alcançando mais de 60 idiomas. Satírico, humorista, anarquista, boêmio, jornalista, escritor, Hašek morreu (Lipnice, 03 de janeiro de 1883) aos 39 anos, sem concluir essa hilariante obra, que nem por isso perde a essência. O anti-herói Josef Švejk, alter ego do autor, é um soldado tcheco com incrível e hilariante capacidade de envolver-se em confusões. Incontáveis episódios e contratempos permeiam e enriquecem a narrativa. Ótima leitura.

Josef Škvorecký
O Engenheiro das Almas Humanas
Editora Record- 2003

A história investiga a jornada de um romancista, Danny Smiricky, imigrante tcheco no Canadá. No início do romance, Danny é professor universitário de literatura americana em Toronto. Perseguido pela polícia secreta do seu país, Danny fica livre para vagar entre o passado e o presente. Provavelmente, a obra tem por base a própria história de Josef Škvorecký, fugitivo (1968) do regime comunista da então Tchecoslováquia, refugiado no Canadá, aonde permaneceu até a sua morte, em 03 de janeiro de 2012, aos 87 anos. Em 1984, quando o livro foi lançado nos Estados Unidos, a crítica literária Eva Hoffman, em sua coluna no The New York Times, escreveu loas a "este romance nutritivo, sério e maravilhosamente divertido".

Karel Čapek
A Guerra das Salamandras
Editora Europa-América - 2009

Apreciadores de ficção científica, por certo, desfrutarão com prazer desta obra de Karel Čapek (1890-1938), que surpreendeu o cenário editorial com suas duas obras do gênero. A primeira delas - R.U.R, A Fábrica do Absoluto, lançada em 1920, escrita em formato teatral, já empregava a palavra “robô”. A Guerra das Salamandras, datada de 1939, aborda visão crítica da conduta humana, que parece nada haver aprendido com as catástrofes ocorridas até então. O Homem encontra espécie de salamandra altamente inteligente, e na ânsia de desenvolver ainda mais a capacidade delas as escraviza, aprende a explorá-las, e lhes dá todas as armas necessárias, até que ficam em posição de desafiar os humanos enquanto topo da cadeia animal.

CIDADES TCHECAS AONDE NASCERAM OS AUTORES

Náchod, de Josef Škvorecký
Náchod

Localizada na região de Hradec Králové, nordeste da histórica região da Boêmia, Náchod tem menos de 20 mil habitantes. Compartilha fronteira internacional com a Volvódia da Baixa Silésia, Polônia. A cidade ocupa lugar no vale do rio Metuje, entre as montanhas de Krkonoše e Orlické hory. Embora pequena nas dimensões – 33,32 km2, Náchod tem várias atrações, dentre as quais o magnífico castelo datado de meados do século 13.  Hoje museu, o castelo oferece exposições, como aquela das coleções da época do príncipe Ottavio Piccolomini, que em 1634 adquiriu  a propriedade e foi responsável pela reforma da edificação, transformando em barroco o estilo renascentista original. Národ e seu entorno oferecem excelentes opções de atividades ao ar livre – caminhadas, ciclismo, esqui, escaladas em formações de arenito, por exemplo, além de exibir paisagens de grande beleza. A pouco mais de 150 km de Praga, com fácil acesso por trem (lindo percurso, com duração de 3h18min); ônibus (3h04min); ou carro (01h45min).

Praga, de Ivan Klíma e de Jan Neruda

Resumir Praga é ousadia temerária. Mais ainda – é impossível. Há tanto para dizer sobre e para vivenciar na capital da República Tcheca, que torna complicado escolher exemplos. Recantos especiais você encontrará desde os singulares lugares para o café da manhã, o almoço em restaurantes para todos os bolsos – de muito sofisticados a populares, tardes repletas de boas surpresas em parques, galerias, spas, barzinhos charmosos, atrações noturnas em teatros, casas de concerto, espetáculos originais, shows que agradam às mais diferentes expectativas. Ou, simplesmente, caminhe a qualquer hora do dia ou da noite para apreciar os inesquecíveis cenários e monumentos históricos. No Blog, você encontrará  interessantes artigos sobre Praga - a Cidade das 100 Torres, considerada uma das mais belas do mundo.

Malé Svatoňovice, de Karel Čapek
Museu dos Irmãos Čapek em Malé Svatoňovice

A vila tcheca Malé Svatoňovice, com área de 6,74 km  e  1500 habitantes, é marcada pelas memórias da Família Čapek. O Museu dos Irmãos Čapek mostra, no primeiro andar, exposição dedicada a Karel e suas atividades editoriais, correspondências e documentos contemporâneos. No segundo andar, conjunto de 20 pinturas a óleo criadas por Josef Čapek, dados biográficos e sobre as suas obras literárias. Em Malé Svatoňovice vale conhecer o Pomar de Santa Maria, lugar de peregrinação que reúne sete capelas e as Treze Estações. Malé Svatoňovice, assim como outras tantas cidades e vilarejos regionais,  é circundada pelas Montanhas Jestřebí, região que há mais de quatro séculos é ligada à mineração. A partir dessas montanhas, há belas vistas das Montanhas Gigantes e das Paredes de Broumov, além de outros atrativos recantos tchecos. Na praça da cidade você poderá visitar a Igreja de Nossa Senhora das Sete Noites, e a capela com sete fontes de águas milagrosas. Para chegar a Malé Svatoňovice desde Praga, você deverá rumar para Trutnov (160 km da capital), por trem (percurso com duração de 03h07min); ônibus (02h53min); ou carro (01h50min).  De Trutnov, poderá chegar a Malé Svatoňovice por trem (percurso de 18 minutos); por táxi ou carro (percurso de cerca de 20 minutos).

Tchéquia sobrenatural

Para os amantes do sobrenatural e da fenomenologia à beira do impossível, sugerimos um itinerário por toda a República Tcheca, que também permite descobrir recantos de tirar o fôlego, e alguns dos monumentos menos conhecidos do rico patrimônio cultural deste país centro-europeu, sempre surpreendente.

Experiencia de viagem
Oplatky, as bolachas de Karlovy Vary. Ou seriam biscoitos?

Oplatky é a palavra tcheca para "bolachas". E o nome completo é Lazenske Oplatky, ou "bolachas de balneário".

Experiencia de viagem
Quando viajar em Ônibus é um prazer

Radim Jancura, criador da empresa de ônibus Student Agency e sua subsidiária ferroviária Regiojet, revolucionou o transporte público na República Tcheca, e em quase toda a Europa Central. Ele  introduziu novo conceito de baixo custo, com serviço impecável.

Experiencia de viagem