História de duas bebidas com a mesma linguagem

Entre jarras e taças se avista o personagem tcheco, fazendo cena a cada brinde entre cervejas e vinhos. Dissemos vinho? Sim, e o fato é que a República Tcheca, além de paraíso para os cervejeiros, é país a ser descoberto quando o assunto é vinho.

Por: Colaborador Convidado

Publicado: Outubro 22, 2021

Da Boêmia à Morávia, dos louros espumosos aos tintos muito frutados, sem esquecer os brancos elegantes; do amargor equilibrado aos sabores sutis. Assim se entende o dualismo tcheco quando se trata de bebidas. Na República Tcheca, o viajante encontra em cada vila e em cada cidade bons motivo para dizer Na zdraví! (Saúde!).

De Pilsen para o mundo

Cada trago da cerveja chamada 'pilsener' lembra que ela tem um pedaço da República Tcheca em seu DNA, embora, é claro, a original é encontrada em Pilsen, epicentro borbulhante que no final do século 19 criou a cerveja dourada, brilhante, limpa e levemente amarga que conquistou - e conquista - paladares em todo o mundo. Seu nome: Pilsner Urquell.

Assim brilham os campos de lúpulo na Tchéquia.

Esverdeado objeto de desejo

Sem lúpulo não há amargor e sem amargor não há cerveja. Por isso, na alquimia tcheca o nome Žatec é quase venerado pelos mestres cervejeiros, que recorrem ao lúpulo verde-avermelhado cultivado nessa pequena cidade no caminho entre Praga e Karlovy Vary e aonde tudo gira em torno desse saboroso amargor. Tanto que em Žatec foi criado o Museu do Lúpulo, verdadeira ode à planta herbácea que há séculos funciona como motor da economia regional.

Em Žatec são cultivados os melhores lúpulos da República Tcheca © UPVision

As catedrais da cerveja

Na República Tcheca, a cerveja é além de bebida - é quase questão de estado, verdadeiro patrimônio nacional. Com as raízes bem estabelecidas na terra tcheca, ilustres cervejas percorrem o mundo, repercutindo o nome do país – falamos no sentido literal. É o caso da famosa Budweiser Budvar. O nome soa familiar para você? Exatamente. Essa é a cerveja original que deu o nome à versão americana. No entanto, ela não está sozinha. Em Brno prestamos homenagem à Starobrno, enquanto de Velké Popovice vem a Kozel e, se nos esgueirarmos para a capital, descobriremos o mosteiro de Strahov (restaurado, aberto à visitação), aonde a  cerveja é produzida da mesma forma utilizada pelos monges há meio milênio.

 

Pequenas grandes cervejas

O boom da cerveja artesanal e das microcervejarias foi sentido inclusive na República Tcheca. O movimento foi abraçado em várias cidades do país, originado a Indian Pale Ales, Session Beers, Lambic (cervejas de fermentação espontânea), à base de trigo, pretas... O horizonte se expande e é saboreado em lugares tão charmosos como em Broumy (n.t.: graciosa aldeia a cerca de 58 km de Pilsen, distrito de Beroun, extremo este da Boêmia Central, aconchegada entre as belezas intocadas das Florestas Křivoklá). Em Broumy você poderá degustar mais de vinte cervejas diferentes na cervejaria Matuska. Em Mikulov (nt.: distrito de Břeclav, Morávia do Sul), as cervejas Wild Creatures são fermentadas entre os vinhedos. Todo um universo em constante crescimento ao qual se render com prazer.

A outra dourada Primavera de Praga

Cervejarias, lúpulo, história... quando servimos cerveja uns aos outros? Seja qual for o ano, reserve o mês de maio e siga para Praga, que por 17 dias vibra ao som das torneiras de cerveja que ressoam no Festival da Cerveja Tcheca em Praga. Apresentações musicais, boa companhia, comida típica e trajes regionais fazem parte do encanto destas duas semanas, anualmente dedicadas à cerveja. Participam mais de 70 cervejarias de todo o país. Evento único para novamente celebrar a Primavera de Praga.

Entre vinhedos, um milênio de história

A República Tcheca vive (e bebe) cerveja, mas o vinho é apreciado em todo o país. O coração que bombeia a maior parte do vinho está na Morávia do Sul, que reúne mais de 95% dos vinhedos tchecos, concentrados nas planícies da bacia do rio Dyje. Na Boêmia estão os pequenos vinhedos, alguns deles localizados acima do Paralelo 50, o que os torna os mais setentrionais do planeta. Frescura, frutado e leveza, são qualidades desse vinho, carregado de aromas dos frutos vermelhos, pretos e muitos herbáceos. Tchéquia é paraíso ainda desconhecido para quem busca vinhos harmoniosos e sutis. É comum encontrar vinhos elaborados a partir de uvas internacionais que se enraizaram bem em terras tchecas, como frankovka (blaufränkisch), rulandské modré (pinot noir) e rulandské šedé (pinot gris).

Na Morávia do Sul, vinhedos escrevem crônicas

Não é o Loire - é a Morávia, aonde o complexo Lednice-Valtice, classificado como Patrimônio da Humanidade pela Unesco, acolhe o visitante entre castelos rodeados por vinhas. É aonde você encontrará os vinhos mais ilustres do país e poderá visitar o Castelo de Valtice (tem inúmeras atrações e oferece roteiros para visitas). O palácio do castelo do Czech Wine Hall, local histórico aberto à visitas, reúne para além de centena de referências em vinhos tchecos, que podem ser degustados durante a visita.

Litoměřice é um dos centros de vinho na Boêmia.

A sedutora exceção na Boêmia

Embalada pelo Elba (Labe) e pelo Moldava (Vltava), a apenas 35 quilômetros ao norte de Praga, Mělník e seus 320 hectares de vinhedos atuam como uma das duas metades do vinho na Boêmia – os mais conceituados são os tintos, à base de uva pinot noir. Mais ao norte está Litoměřice, por sua vez, banhado pelos rios Elba e Ohře. Litoměřice atua como o outro eixo do vinho boêmio, com suas férteis planícies propícias a todo tipo de safra e aonde há mais de 300 hectares de vinhedos.

Brinde em vinhedo de Znojmo.

O grande festival da colheita

A alma livre dos tchecos se reflete em sua devoção aos espaços abertos, aproveitando todas as oportunidades para fazer viagens às montanhas, florestas e, por que não, aos vinhedos. A exuberante primavera dá origem às uvas Bohemian e Moravian, que no verão estão no auge. É por isso que não nos surpreende a realização de festivais nessa época, como em Mikulov, durante a primeira semana de setembro; ou em Znojmo, lugar perfeito para descobrir a sua Festa do Vinho, apoiada por concertos e demonstrações culinárias (anualmente, em setembro). Mělník também transforma seu castelo em sede de festa que celebra o vinho (anual, terceira semana de setembro).

Em Znojmo, a Festa do Vinho é realizada anualmente.

Você pode gostar…

MANUAL BÁSICO PARA CERVEJEIROS NOVATOS

Conheça algumas características da cerveja tcheca. Inclui a rota da cerveja pelas melhores microcervejarias de Praga.

AONDE INICIAR-SE NO MUNDO DO VINHO TCHECO

Verdadeiro paraíso para os amantes da enogastronomia, o Sul da Morávia responde pela produção de 96% dos vinhos tchecos.

20 LUGARES CURIOSOS NA REPÚBLICA TCHECA

Tchéquia é forrada por atrações bem conhecidas, porém, tem seu  “lado B”, com inúmeros locais curiosos – para dizer o mínimo.

 

 

 

Cinco castelos para hospedar você na República Tcheca

Com preços de estadia para todos os bolsos, vários castelos da República Tcheca aceitam hóspedes. A seguir, cinco deles. 

Arquitetura Castelos e Palácios Castillos y Palacios Experiencia de viagem Itinerários Luxo Patrimonio Patrimônios Sonhe
DE CASTELO A CELEIRO, ESCOLHA SEU CHARMOSO HOTEL NA REPÚBLICA TCHECA

O que é um hotel charmoso para você? Para nós, é a hospedagem aonde cada detalhe é cuidado, oferece reduzido número de apartamentos e o hóspede se sente acolhido como se estivesse em casa. Se você procura hotel na República Tcheca para a sua próxima viagem, conheça os que sugerimos neste artigo, porque todos foram concebidos sob esse conceito.

Experiencia de viagem Luxo Natureza
Três marcas tchecas para descobrir essências nacionais

Empreendedor, engenhoso, trabalhador, espírito de comerciante e canhoto para exportação... O passado comunista da República Tcheca, à distância, muitas vezes ofusca uma essência nacional: a sua indústria e o seu espírito proativo. São exemplos as marcas Škoda, Pilsner Urquell, e Moser.

Experiencia de viagem