Boêmia do Norte: natureza esplêndida

As montanhas e cidades de pedra que formam o maciço central tcheco são protagonistas desta região que se encontra ao norte de Praga. Aqui, o Parque Nacional da Suíça da Boêmia, as montanhas Jizerské hory e o Paraíso Tcheco são maravilhas naturais que convidam ao esporte de aventura. E a proposta se completa com locais históricos, além de uma larga tradição na fabricação de cristal, bijuteria e joias de granates tchecos.

Por: Colaborador Convidado

Publicado: Julho 23, 2020

  1. Tesouros naturais

Suíça da Boêmia: Mística paisagem de bosques de pinheiro e vales profundos, de onde se erguem torres de pedra, portões, muros, barrancos, cidades de pedra e labirintos. Exatamente assim é o Parque Nacional da Suíça de Boêmia. O império das pedras é o lar de animais pouco comuns e plantas maravilhosas.

A história desta zona nasceu há milhões de anos quando no lugar atual da Suíça da Boêmia se encontrava um mar pouco profundo. Do antigo solo marinho nasceu o mundo de arenito: torres de pedra, pontes e portões de formas espetaculares. O nome Suíça da Boêmia é uma extensão da região alemã vizinha, conhecida como Suíça da Saxônia. Esta denominação romântica se deve aos pintores suíços Adrian Zingg e Anton Graff, que trabalharam na Academia de Dresden e pintavam as paisagens ao redor do rio Elba.

Uma das portas de entrada a esta paisagem única é Hřensko, de donde saem vários passeios turísticos aos vales próximos. Uma parte do caminho passa por um labirinto de rochas, túneis e pontes. Algumas partes só podem ser atravessadas em embarcações conduzidas por um barqueiro. As gargantas por onde mal entra luz, com seus altos muros de pedra de arenito cobertos de musgo e samambaias são simplesmente irresistíveis.

Entre as rotas turísticas favoritas está o Caminho de Gabriel, que vai do povoado de Mezní Louka até a famosa Porta de Pravčice, símbolo do parque, protagonista do filme As Crônicas de Nárnia. O monumental arco de pedra, o maior em toda a Europa, lembra formações parecidas do famoso parque americano Arches. No caminho se abrem preciosas vistas das redondezas, principalmente da colina mais alta do parque, Růžovský vrch.

Paraíso da Boêmia: Uma harmonia única de cidades de pedra bizarras, profundos bosques de pinheiros, castelos e palácios majestosos. Um sem-fim de vistas, trilhas para caminhadas e rotas ciclísticas por dentro de românticas rochas de arenito se oferecem a quem ama as excursões ao ar livre. Siga os passos do comandante Alberto de Wallenstein, visite o palácio de Hrubá Skála e percorra a Trilha do Ouro do Paraíso da Boêmia até o castelo de Trosky.

O principal percurso começa e termina junto ao palácio de Hrubá Skála, que se situa sobre duas rochas de arenito. Através de um agradável caminho florestal é possível dirigir-se até o mirante de Adamovo lože (Cama de Adão) e de lá para o castelo de Wallenstein. Uma vista panorâmica do palácio de Hrubá Skála se oferece desde o mirante Mariánská vyhlídka, de onde se pode ver até, com o tempo favorável, o inconfundível mirante de Ještěd nas montanhas de Jizerské hory. O castelo Wallenstein (construído pelos antepassados dos senhores de Wallenstein), é o mais antigo do Paraíso de Boêmia. Para retornar, pegue a Trilha do Ouro do Paraíso da Boêmia, que leva de volta ao palácio, passando primeiro pelo mirante de pedra U Lvíčka e logo ao largo do arboreto Bukovina, que abriga muitas espécies únicas. E estará de volta ao palácio de Hrubá Skála.

Outro grande percurso começa junto a pousada Turistická chata. Superando uma escada de pedra esculpida na rocha, se sobe ao mirante Pechova vyhlídka, desde o qual de tem uma vista única de Zelená rokle (Barranco Verde). Por um labirinto de caprichosos maciços de pedra se desce ao lado da Šikmá věž (Torre Inclinada), até um local chamado Fortna. Logo se pode continuar subindo pelo meio das pedras até chegar a Vyhlídka míru (Mirante da Paz), de onde se consegue uma vista magnífica do topo das pedras que bordeiam o barranco de Císařská chodba (Corredor Imperial), junto com as rochas Drážďanská věž (Torre de Dresden) e Americká věž (Torre Americana). Logo se continua pela crista até chegar ao mirante Hlaholská vyhlídka. Desde ali, o percurso passa por caminhos curvos, descendo em uma espiral por entre as rochas gigantes. Na continuação, se sobe e desce por escadas até os mirantes de Rumcajsova e Hakenova vyhlídka. Logo, uma espiral leva até os mirantes de Všetečkova e Šlikova vyhlídka. Por fim, basta descer até a base do barranco Císařská chodba e voltar à pousada Turistická chata.

A grande montanha: Ao ver pela primeira vez a majestosa montanha de Ještěd, você pode pensar que em seu topo acaba de pousar uma nave espacial. Essa construção insólita, em forma de um hiperboloide, que abriga um hotel e uma emissora de TV, é um dos símbolos desta região. Para fazer a estadia mais tranquila, é possível sentar-se no restaurante situado dentro da torre ou subir para aproveitar uma vista preciosa das montanhas Jizerské hory.

Para chegar na base de Ještěd se pega um cômodo bonde desde Liberec. O edifício moderno que está em cima de Ještěd é obra do arquiteto tcheco Karel Hubáček. A originalidade da obra e sua fama logo atravessou as fronteiras tchecas, e seu autor recebeu o prestigioso prêmio Parett. À primeira vista, a construção parece uma terminação perfeita para a montanha, se encaixando de maneira elegante na paisagem.  

Quem quiser viver algo realmente irrepetível pode alojar-se em Ještěd e desfrutar de uma estadia com vistas inesquecíveis. No verão, Ještěd é o ponto de partida ideal para visitar os montes de Jizerské hory, o balneário de Lázně Libverda ou os palácios de Frýdlant e Sychrov. No inverno, é possível aproveitar as pistas de esqui alpino e de fundo, o teleférico e um centro de trampolins de esqui.

Cidades de Pedra: A Rochas de Adršpach-Teplice figuram entre as formações rochosas mais visitadas da Tchéquia. Ali é possível atravessar desfiladeiros rochosos, dar asas à imaginação descobrindo as formas das rochas ou deixar-se levar pelas águas, navegando audazmente em um barco ao lado dos paredões de pedra.

As formações se situam no triângulo entre os povoados de Teplice nad Metují, Adršpach e a montanha de Čáp, que se eleva acima do povoado de Skály. Depois do desaparecimento do mar cretáceo, surgiu neste lugar dois grupos únicos de cidades de pedra que estão separadas pelo Vlčí rokle (Barranco do Lobo).

Para o circuito das Rochas de Teplice é necessário reservar três horas no mínimo. Na trilha se encontram formações rochosas que levam nomes como Housenka (lagarta), Řeznická sekera (machado de açougueiro) ou Golem. Uma atração imperdível é provar a adrenalina subindo por escadas que levam às ruínas do castelo de Střmen, adaptado a uma plataforma com mirante. Também vale a pena ir à parte inferior da gigantesca e lisa Torre de Vigilância, um dos símbolos das Rochas de Teplice. No cruzamento, perto de Sibéria, suba a escada de pedra e chegue até a Capela de Pedra, através da Grande Praça do Templo e, depois de atravessar um caminho estreito em Lví klec (Jaula do Leão), se chega ao Jardim de Krakonoš (espírito mitológico das montanhas de Krkonoše).

Outro lugar que merece uma visita são as Rochas de Broumov. Com românticas rochas de pedra de arenito, barrancos profundos, desfiladeiros e mirante, em uma paisagem pitoresca cheia de bosques.

O passeio pelas cidades de pedra está quase completo, mas não se pode esquecer da reserva natural de Ostaš, onde é possível perder-se em labirintos de pedra e conseguir vistas fantásticas.

    2.Três pérolas do norte

Liberec: Abraçada pelas montanhas Jizerské hory, está a cidade que não poderia haver escolhido uma localização mais bonita. A cidade de Liberec, na Boêmia do Norte, é o lugar ideal para passar férias em qualquer época do ano, pois oferece inúmeras e atrativas opções de turismo ativo e cultural, e de descanso.

Liberec é uma cidade que tem uma longa e gloriosa história.  Alcançou seu auge no XVIII ao tornar-se a maior manufatureira do Reino Tcheco e a segunda cidade mais importante depois de Praga. Devido a sua população majoritariamente alemã, após a assinatura do Acordo de Munique, em 1938, Liberec passou a ser cidade dos Sudetes. Hoje é uma cidade viva e um fantástico ponto de partida para excursões até as belezas naturais das montanhas Jizerské hory e seus mirantes. No inverno, se transforma em um centro esportivo por suas pistas de esqui alpino e dezenas de quilômetros de pistas preparadas para esqui de fundo.

Em Liberec é difícil decidir o que fazer primeiro. A maioria dos visitantes iniciam seu percurso pela cidade na praça principal, onde chama a atenção o majestoso panorama das torres esbeltas da Prefeitura, cujo aspecto lembra uma catedral gótica. Parece que já viu este edifício em algum lugar? Talvez tenha sido em Viena, porque ali se encontra seu irmão gêmeo, que é ainda mais famoso. A alguns passos de distância, estão as chamadas casas de Wallenstein, preciosos edifícios enxaimel do século XVII.

Os museus locais também são muito interessantes. Na Galeria Regional se podem admirar obras do impressionismo e do cubismo tcheco, além de obras-primas de pintores franceses, holandeses e flamencos. Porém o museu mais chamativo de Liberec é o ostentoso Museu da Boêmia do Norte, que reside em um precioso edifício neorrenascentista. Além de exposições dedicadas à paisagem e à história, há uma interessante exibição de cristal e joias, incluindo um singular jogo de chá cubista.

Para quem gosta de exposições interativas, a sugestão é visitar o IQ Park e tentarr caminhar por um cilindro giratório ou uma sala inclinada, criar uma impressão de luz do seu corpo ou entrar em uma bolha de sabão gigantesca.

Ústí nad Labem: A cidade é ideal para partir rumo a diversas aventuras na sub-região que leva seu nome. Por cima do rio Elba, se alça as ruínas majestosas do castelo de Střekov e outro monumento importante é a igreja neogótica de Nossa Senhora da Assunção.

Para chegar ao palacete de Větruše, que conta com um restaurante com varanda, é necessário usar um meio de transporte pouco tradicional: do centro comercial Forum parte um teleférico que percorre um trecho de 330 metros, inaugurado em 2010. A viagem é excepcional com vistas da cidade da paisagem. Também merece atenção a Ponte Mariano, do ano 1998, que foi incluída pela renomada revista Structural Engineering International entre as dez construções mais bonitas do mundo na última década do século XX.

Teplice: relax ao estilo tcheco

O relaxamento em águas termais, o forte aroma das essências, tratamentos de bem-estar e um descanso perfeito para o corpo e a mente esperam o visitante em Teplice, a tão-somente 20 minutos da cidade de Usti nad Labem.

Os mananciais termais locais são utilizados desde o século XII, o que faz deste lugar uma das cidades-balneário mais antigas de toda Europa. O relaxamento mais sublime tem lugar defronte à preciosa paisagem das montanhas de Krušné hory, onde o tempo passa lenta e agradavelmente.

Os mananciais de Teplice são usados para curar enfermidades do aparato locomotor, neurológicas, mas também de circulação, coração e vasos sanguíneos. Entre os personagens mis famosos que se beneficiaram dos efeitos curativos de suas águas termais estão os compositores Chopin e Liszt, além do poeta alemão Goethe. Durante sua estadia em Teplice, Ludwig van Beethoven escreveu a famosa carta dirigida a sua “amada imortal”.

Em Teplice é possível alojar-se em um dos quatro edifícios de balneário. O mais imponente de todos é o Balneário Imperial, em tcheco Císařské lázně, que deve seu nome ao hóspede mais célebre: o imperador Francisco José da Áustria. Bem no centro histórico está a Casa Balneário Beethoven, rodeada de extensos parques. E no Balneário Kamenné Lázně se encontra una singular caverna de sal. Por último, o Balneário Nové lázně é dedicado a crianças.

  1. História, arquitetura e tradições

Terezín: O monumento de Terezín compreende um complexo de edifícios que se estende nas duas margens do rio Ohře. Suas partes principais são a Fortaleza Grande e Pequena, construídas segundo o conhecido projeto da escola francesa da cidade de Mezières. A sombria história de Terezín se desenvolveu durante a época da Segunda Guerra Mundial. O sofrimento diário e as condições de vida sub humanas para as dezenas de milhares de judeus que foram deportados a este lugar estão presentes a cada passo. Ali é possível passear pelos antigos locais de alojamento, a conhecida capela no quartel de Magdeburgo, o Columbário com sua sala de cerimônias e o Museu do Gueto. As placas comemorativas e os cemitérios nos arredores de Terezín recordam uma triste história que não se deve repetir.

Sychrov: Ao largo de todo o ano se pode visitar o palácio neogótico de Sychrov. Suas exposições retratam o estilo de vida da nobreza na segunda metade do século XIX. Naquela época, o palácio florescia como residência da estirpe principesca dos Rohan, que chegaram a Boêmia vindos da Bretanha francesa. Em Sychrov se exibem numerosas coleções como, por exemplo, uma de pintura francesa de retratos e outra de cristal tcheco gravado e pintado nos séculos XVIII e XIX. O jardim inglês do palácio permite admirar os reis dos céus: águias e falcões, assim como corvos e corujas cujas capacidades são exibidas por um falcoeiro experimentado. No recinto também se situa o mirante do príncipe herdeiro Rodolfo e as ruínas românticas do Castelo de Artur.

Cristal, bijuteria, granate tcheco

Em busca de uma lembrancinha ou presente tcheco? O cristal tcheco é uma opção certeira: taças de vinho, joias de cristal, bijuteria, lustres ricamente adornados e peças originais dos artistas contemporâneos de design. As lojas com cristal tradicional se encontram em Praga, Karlovy Vary e quase em cada esquina das outras cidades.

Para conseguir o cristal original de Moser é necessário ir a Karlovy Vary

A fábrica Moser de cristal é responsável pelo renome mundial do cristal tcheco, que se converteu em sinônimo de qualidade e tradição. Foi fundada em 1857 e seus produtos ainda são considerados entre os melhores do mundo. A fábrica de cristal, museu e centro de visitantes Moser é um dos lugares mais visitados do famoso balneário tcheco.

Museu de cristal e bijuteria em Jablonec nad Nisou

A beleza delicada da joalheria de cristal e da bijuteria pode ser vista de perto em Jablonec. Na cidade localizada ao pé das montanhas Jizerské hory, a tradição joalheira e de cristal se desenvolve desde o século XVI. É um artesanato incomum, que pode ser conhecido no Museu do Cristal e da Bijuteria, que conta com coleções de cristal, bijuteria, moedas, medalhas, placas e a galeria de joias Belveder. Ali se encontra também a maior loja tcheca de bijuteria e pérolas, a galeria Palace Made in Jablonec, onde dezenas de empresas de Jablonec mostram e vendem seus produtos. Além da joalheria de moda, é possível comprar lustres e abajures de cristal, enfeites de natal de vidro e outros lindos objetos.

Fábrica de cristal

Aqueles que quiserem ver com os próprios olhos os lugares ondem nascem as lindas peças de cristal tcheco tradicional de máxima qualidade, com desenhos clássicos e modernos, devem ir a uma das fábricas de cristal.  Em Harrachov se encontra a fábrica de cristal Novosad, que foi fundada a princípios do século XVIII e é uma das mais antigas da Tchéquia. Desde o início, utiliza o método tradicional para produzir não apenas cristais para bebidas e uso cotidiano, mas também lustres. Durante o percurso se visita a planta de corte de vidro e o Museu Histórico do Cristal. O complexo conta também com uma pequena cervejaria e restaurante, desde onde se pode ver os sopradores de vidro atuando, além de um hotel com um balneário de cerveja. O trabalho dos mestres vidreiros pode ser observado também na fábrica de cristal de Rückl en Nižboř.

Para tornar-se um artista do cristal

Para quem está extremamente interessado no cristal e na sua produção, a ponto de querer fazer um curso, o melhor lugar é o Complexo de Cristal em Lindava, próximo a Novy Bor. Esta flexível, especial, única, exclusiva, misteriosa e admirável fábrica de cristal oferece cursos de trabalho com vidro sob a supervisão de experimentados sopradores de vidro. O lugar está cheio de obras de artistas de fama mundial e os produtos desta fundição podem ser vistos em galerias de arte de todo o mundo. Nas imediações da fábrica de cristal está a taverna original dos vidreiros, aonde se pode degustar as especialidades culinárias da região e observar de perto o trabalho dos mestres vidreiros.

   4. Viajar em modo ativo

Running: Mattoni 1/2 Marathon Ústí nad Labem

19 de setembro de 2020

Este evento leva os corredores em um percurso ao largo do rio Elba, com vistas da parte central da cadeia montanhosa da Boêmia. Mas, além disso, há um trecho surpreendente, quase de ficção científica, em meio à paisagem industrial de Ústí nad Labem. Com frequência os corredores escolhem diferentes corridas para poder mudar a cenografia e não há lugar melhor que Ústí nad Labem para oferecer a maior quantidade de mudanças, quilômetro após quilômetro.

Mattoni Liberec Nature Run

4 de outubro de 2020

Rodeada de natureza e montanhas, esta corrida é feita em alguns dos caminhos que percorrem as montanhas da região, sem ser complicado mas sendo espetacular.

Ciclismo: Aqueles que gostam de aproveitar as férias em bicicleta, em plena natureza, esquecendo-se das preocupações e pedalando por um caminho tranquilo e repleto de locais históricos e paisagens incríveis, devem ir em direção aos rios tchecos, que contam com excelentes rotas ciclísticas nas quais podem descobrir cidades históricas, relíquias arquitetônicas e uma natureza incrível.

Uma das rotas mais populares é Labská stezka, que se inicia na nascente do rio Labe, em Krkonoše, e passa por cidades medievais como Mělník ou Brandýs nad Labem, até as fascinantes formações rochosas da Suíça da Boêmia. Esta rota é a preferida de famílias com crianças e ciclistas de larga distância porque seu perfil de elevação não é muito exigente. O ciclista pode entrar na rota antes de chegar a Mělník. A rota do Elba vai da Tchéquia até a Alemanha, onde é conhecida como Elberadweg (o caminho de bicicleta pelo Elba).

As mesmas opções podem ser percorridas a pé. Existe um grande número de trilhas que se embrenham pela bela natureza do lugar e oferecem grandes experiências, boa comida local e muitas aventuras.  

Esportes de inverno: Não se pode perder as pistas de esqui perfeitamente localizadas junto a uma das construções mais originais da Tchéquia: o conjunto esportivo de Ještěd. Aqui se encontra uma moderna estação de esqui alpino, um parque de neve europeu, um circuito de esqui de fundo –lugar de celebração de um campeonato mundial de esqui clássico– e mais.

O centro preferido para esportes de inverno se situa nas encostas das montanhas de Ještěd e Černý vrch. Tanto os principiantes no esqui alpino quanto os profissionais podem desfrutar ao máximo em Ještěd, em alguma das doze pistas de distintos níveis de dificuldade, cuja longitude total supera nove quilômetros.

Para quem prefere o snowboard, o conjunto esportivo de Ještěd é o lugar perfeito. Uma das novidades mais recentes é o parque de neve de Nové Pláně, com onze obstáculos tanto para principiantes como para avançados, o que costumam fazer delas lugar de competições e encontros de fãs de snowboarding.

Dados básicos

Localização: 120km desde Praga, 70km desde Dresden, 270km desde Berlim.

Itinerário recomendado (5 dias):

Dia 1: Paraíso de Boêmia - Turnov.
Dia 2: Liberec - Ještěd.
Dia 3: Palácio de Sychrov - Jablonec (Crystal Valley) - Nový Bor.
Dia 4: Ústí nad Labem - Teplice - Terezín.
Dia 5: Suíça da Boêmia.

A melhor época para viajar é de abril a outubro, para aproveitar o clima e as atividades ao ar livre (considerar que no verão pode chover). Para esqui, de meados de dezembro a princípios de março.

 

Cinco locais de arquitetura modernista na República Tcheca

A arquitetura modernista e seus estilos, como construtivismo, cubismo, funcionalismo, minimalismo, classicismo têm belos exemplos na República Tcheca.

Arquitectura Arquitetura Cultura Cultura Dica de local Experiencia de viagem Patrimônios
Tchéquia, ao sabor das festas folclóricas

Na República Tcheca, o passado repleto de lendas está sempre presente através de festas folclóricas realizadas seja nas grandes cidades, como nos recantos mais bucólicos do país. A começar por Praga, manifestações folclóricas ocorrem nas diferentes épocas do ano. 

Experiencia de viagem
Três marcas tchecas para descobrir essências nacionais

Empreendedor, engenhoso, trabalhador, espírito de comerciante e canhoto para exportação... O passado comunista da República Tcheca, à distância, muitas vezes ofusca uma essência nacional: a sua indústria e o seu espírito proativo. São exemplos as marcas Škoda, Pilsner Urquell, e Moser.

Experiencia de viagem
Pacotes