As joias secretas da República Tcheca

Ir além. É isso que propomos nesta seleção de excursões a lugares secretos da República Tcheca que não estão na famosa e brilhante Praga, mas por si justificam a viagem ao país.

Por: Colaborador Convidado

Publicado: Junho 07, 2021

Neste artigo, decidimos surpreendê-lo com um punhado de excursões na República Tcheca que podem ser realizadas desde seis pontos de partida. Há passeios pela natureza e por  patrimônios - todos repletos de surpresas. Desde Karlovy Vary, České Budějovice, Liberec, Pardubice, Brno e Ostrava, traçamos roteiros ricos em descobertas paisagísticas, históricas e artísticas. Surpreenderão você esses segredos, do tipo que apenas um tcheco amante de sua terra poderia revelar.

Orquídeas e vulcões perto de Karlovy Vary

A luxuosa cidade termal de Karlovy Vary, no oeste da Boêmia, graças às suas águas termais curativas está inscrita há séculos na história das férias aristocráticas. Em seus arredores, com muitas possibilidades atrativas, uma das mais chamativas é o Bosque Slavkovský les, também conhecido como Bosque do Imperador. Composto por vastos pântanos pontilhados por densidades de pinheiros, bétulas e turfeiras, o Bosque do Imperador constitui a inesgotável reserva de água das três cidades termais que o rodeiam – além de Karlovy Vary, Mariánské Lázně e Františkovy Lázně. O bosque é repleto de caminhos que permitem visitar o ambiente protegido de fauna (cervos, javalis, perdizes) e de flora (desde orquídeas a salgueiros). Os percursos comunicam com entorno onde a natureza prevalece e ostenta marcos como o Castelo de Loket, Kynžvart e o Mosteiro de Teplá, dentre outros lugares repletos de história.

A extensão do Bosque do Imperador inclui algumas elevações, como as Rochas Svatošské skály, à margem esquerda do rio Ohře. Essas elevações proporcionam praticar montanhismo, para escalagem entre os 10 e os 50 metros. São picos com alma de escultura abstrata que, a depender da aparência, levam nomes como O Noivo e a Noiva, A sogra e Os Músicos. É ambiente que permite diferentes tipos de atividades, desde simples caminhadas até escaladas.

As descobertas esportivas se completam com as mais de duas mil  rotas de ciclovias turísticas que seguem o rio Ohře, desde a fronteira com a Alemanha até o seu limite com a região de Ústí nad Labem, no norte da República Tcheca. Muitas dessas rotas partem de Karlovy Vary – algumas curtas, outras que chegam a 110 quilômetros. Para orientação sobre essa enorme oferta,  consulte a lista.

Continuando com as descobertas que levam a exercitar as pernas, a Reserva Natural de Soos, próxima à histórica cidade de Cheb, é um parque geológico de dois quilômetros quadrados ladeado por passarelas de madeira que avançam entre lagoas e nascentes de água fervente - paisagem única no continente europeu que também pode ser percorrida por trem turístico.

Por fim, proposta para descobrir parte trágica e importante da história de área rica em patrimônio – o Inferno de Jáchymov, rota que liga os 18 campos de trabalhos forçados que foram abertos durante 1949 e 1953 para "reeducar" prisioneiros políticos. Aqueles 65 mil prisioneiros, conhecidos como 'mukl' (pessoa a ser liquidada), extraíram 7,94 mil toneladas de urânio das minas locais, ao longo de 15 anos. Hoje, os visitantes percorrem respeitosamente os 8,5 km do chamado Caminho do inferno, que margeia parte dos mil quilômetros de galerias perfuradas na rocha.

České Budějovice, bosques encantados e túneis centenários

České Budějovice, a capital da Boêmia do Sul, por si é destino surpreendente com joias a descobrir, como a bela Praça Principal, que mostra de relance o caráter medieval, barroco e renascentista da cidade. Mas, é ao redor dessa praça que encontramos lugares muito sugestivos, como a Reserva Natural Boubínský, a maior da Europa Central.

Situada no coração da Serra de Šumava, no sul do país e a fronteira com a Alemanha, Boubínský possui árvores de mais de 400 anos a entremear vegetação florestal que inclui abetos e faias. Tem espírito de bosque encantado, com troncos retorcidos, os de cascas enrugadas e raízes entrelaçadas que sobem à superfície da terra. Percurso circular que parte da lagoa Boubínské jezírko atravessa a melhor área da reserva – passa por diferentes trechos de maior ou menor impacto humano.

Ao longo do Lago Svět (Mundo, em tcheco), série de rotas são propostas a pé ou por bicicleta, ao redor da cidade de Třeboň. Nas águas do Svět vive o mais famoso peixe de lago interior da República Tcheca - a carpa, pescada no outono, muito consumida em todo o país e prato tcheco obrigatório por ocasião do Natal.

As muitas áreas protegidas confirmam o espírito verde e oxigenado da Boêmia do Sul. Exemplo é Novohradské hory, no sul da região, já próximo da fronteira com a Áustria. Repleto de trajetos para caminhantes e ciclistas de todos os níveis, ali o roteiro mais conhecido é o itinerário ao Vale Teresa (Terčino údolí), que tem seis km de extensão e é encimado por pequena cachoeira com 13 metros de queda.

Por seu lado, Žofínský é reserva protegida desde 1838 (a mais antiga da Europa), formada por 100 hectares muito bem preservados, com percursos de longa distância e o Žofín, antigo palácio de caça. Outro marco natural importante é o Canadá  Tcheco (Česká Kanada), área arborizada e rochosa muito menos povoada que as anteriores. Batizada pela semelhança de sua paisagem com as florestas canadenses, em seu coração verde e cinza foi erguida a pequena e romântica cidade de Slavonice, joia renascentista com surpresas, como os túneis visitáveis que percorrem o subsolo da cidade, alguns com mais de 700 anos.

A cereja do bolo na viagem é o Mirante Klet’, o mais antigo da República Tcheca, acessível a pé ou por teleférico. Localizado sobre a pedra do ponto mais alto da Montanha Blanský, no sul da Boêmia, é edifício com 18 metros de altura, em forma de torre defensiva. Foi construído no início do século 19 pelo Conde José João Nepomuceno de Schwarzenberg, viajante curioso e promotor do turismo no país.

A nave espacial e o céu negro de Liberec

Liberec é a nosso terceiro quartel-general escolhido para viagem repleta de descobertas. A primeira parada é na Torre Ještěd. No seu topo, a mais de mil metros de altura, está instalada o que parece ser nave espacial, na verdade, uma torre de

comunicações. O resultado instantâneo é um mirante de 360 graus, com locação de apartamentos que oferecem vista invejável. Esse foi um dos símbolos da República Tcheca e ainda hoje nos fala sobre o poder do antigo regime comunista.

Sem sair das alturas, a montanha Jizerské hory é o lar da “Área do Céu Escuro de Jizera”, porção desabitada entre a República Tcheca e a Polônia, aonde inexiste poluição luminosa. Se em uma cidade você consegue ver cerca de 50 estrelas, a partir de  Jizerské hory poderá enxergar até duas mil em noite com boa visibilidade. Este “céu negro”, na parte tcheca está situado no vale do rio Jizerka, reserva protegida acessível por caminhos que partem das vilas de Kořenov e Jizerka – elas ajudam a completar uma experiência rural, natural e sugestivamente noturna.

Dica: a centenária trilha de Hřebenovka, compartilhada com a Alemanha e a Polônia, atravessa as montanhas do norte da República Tcheca, cruzando em muitos pontos as fronteiras dos dois países vizinhos, entre paisagens de alta altitude de tirar o fôlego e muitos pontos de interesse cultural.

Pardubice, picos para águias e bandoleiros

Desde Pardubice, a cidade ribeirinha do Elba com sua harmoniosa praça retangular, partimos para a selvagem e pouco conhecida Reserva Natural de Broumovsko. Através de seus silenciosos caminhos, o visitante descobrirá, provavelmente sozinho, rochas escultóricas de arenito como Slavenské hřiby (Flechas de Slaven), a porta de pedra, a capela barroca, uma falésia impressionante e um mirante que permite visão de águia, com alcance que cruza as fronteiras com a Polônia.

A próxima etapa é Litomyšl, no leste da Boêmia, cidade natal do compositor Bedřich Smetana. O palácio renascentista de Litomyšl faz parte do patrimônio tcheco tombado pela Unesco. Pequena joia arquitetônica em cujo entorno, acessível a pé ou por excursão ciclística, existem rochas de arenito, como aquelas de Toulovec, retratada nas lendas como o refúgio do selvagem cavaleiro bandoleiro Toulovec, de quem as crianças ainda têm medo. A poucos passos de distância está o palácio rococó Nové  Hrady, conhecido como o Versalhes tcheco.

Para concluir o passeio por essa área com variadas atrações, a  microrregião de Chrudim, entre a Boêmia e a Morávia, tem apelos como o Museu de Arquitetura Popular de Veselý Kopec, inscrito na lista do Patrimônio Imaterial da UNESCO, onde é mostrada a vida de artesãos e pequenos agricultores na segunda metade do século 19. Em Veselý Kopec há o Parque Arqueológico Celta, desde onde você poderá participar em circuito turístico que começa e termina no parque. Os visitantes são levados ao local de antigo assentamento celta, no Hradiště oppidum (povoado fortificado no topo de colina), perto de Nasavrky. O percurso de 9,5 km passa por belo jardim, localizado na área de Paisagem Protegida das Montanhas de Ferro (Železné hory).

Brno, campos de lavanda e caçadores de mamutes

Da monumental Brno, a segunda capital da República Tcheca, dominada pelos perfis medievais da fortaleza de Špilberk e da Catedral de São Pedro e São Paulo, partimos em direção a uma rede de meandros conhecida como Amazônia da Morávia. Na confluência dos rios Morava e Dyje - ponto de fronteira entre a República Tcheca, a Áustria e a Eslováquia, a fusão dos canais entre frondosos bosques desenha paisagem fluvial intocada, repleta de remansos aonde prosperam várias espécies animais, tais como a cegonha preta, o castor e a águia. Só de ouvir o canto dos pássaros que ali vivem é experiência inesquecível.

A próxima parada é a trilha arqueológica de 3,5 km que, entre Pavlovice e Dolní Věstonice, percorre os locais mais importantes da cultura dos caçadores de mamutes que ali viveram há mais de 30 mil anos. No Pavlov Archeopark, edifício futurista semienterrado, você poderá ver algumas das ferramentas mais antigas criadas pelo homem, encontradas nos locais do percurso.

A última sugestão não poderia ser mais hedonista - visitar os  campos de lavanda da Morávia. Eles podem ser vistos nos arredores da vilazinha sulista de Starovičky. É paisagem com ares toscanos, formada por canteiros e mais canteiros de lavanda aromática, que podemos percorrer ouvindo a banda sonora do zumbido das abelhas, para terminar sentados à sombra, com vista para a bela paisagem da Área Protegida de Pálava.

Excursão a Ostrava, nascentes e ar da montanha

Para terminar, abordamos a Morávia do Norte que, junto com a região da Silésia, é vizinha da fronteira com a Polônia. Sua distância de Praga e área bastante montanhosa a mantiveram longe das rotas turísticas mais movimentadas, apesar do fato de sua capital, Ostrava, ter sido uma das cidades industriais mais importantes do país durante o regime comunista.

O resultado é que, uma vez ali, teremos aquela sensação de descoberta a cada passo, principalmente ao entrar nos dois primeiros destinos - Jeseník e Montanhas de Jeseníky. Sobre o balneário Jesenik é possível dizer que é o berço das modernas hidroterapias, já que é a cidade natal de Vincenc Priessnitz, o criador da hidroterapia e da cura natural através do ar puro e da água de montanha - 2021 marca 170 anos de sua morte. Todas as suas teorias se tornam realidade no spa Priessnitz, paraíso ao ar livre cercado por florestas exuberantes, com vista panorâmica das montanhas desde as águas termais.

A cidade também é um dos pontos de partida para as Montanhas Jeseníky, ligadas a inúmeras lendas e assustadoras histórias populares relacionadas ao seu caráter peculiar. Apesar da altura relativamente baixa (o pico mais alto tem 1.491 metros), as rotas que cruzam essas montanhas são exigentes.

Tudo é esquecido quando um de seus picos é alcançado e vistas infinitas são acessadas. Em Jeseníky está uma das cachoeiras mais altas do país - Vysoký vodopád (Cachoeira Alta), no riacho Studený potok. Nas estações chuvosa e no degelo, oferece um espetáculo alegre, ruidoso e místico.

A água é também protagonista de nosso último ‘segredo’ – a nascente Karlova Studánka, perto de Jeseníky. Seu manancial, conhecido como Fonte de Carlos, é considerada o lugar com o ar  mais limpo da Europa Central. Os encantadores edifícios de madeira desse balneário e a sua paisagem, que evolui conforme as estações do ano, mas permanece sempre sugestiva, com neve ou sol, é uma daquelas razões infalíveis para se apaixonar para sempre pela República Tcheca.

Continue lendo

Villa Tungendhat de Mies Van der Rohe e outras joias de Brno

Cinco lugares românticos em Praga, na república Tcheca

Canais relacionados

Experiencia de viagem
Pavel Dvorak: a história de brno é contada em espanhol

Além de tocar piano com paixão e maestria, ensinar história na universidade e praticar esportes, Pavel adora fazer uma turnê em Brno, contando aos visitantes - em espanhol - os grandes segredos de sua cidade. "O espanhol é uma língua interessante, super divertida e segue uma lógica semelhante à do tcheco", diz ele.

Experiencia de viagem
DE CASTELO A CELEIRO, ESCOLHA SEU CHARMOSO HOTEL NA REPÚBLICA TCHECA

O que é um hotel charmoso para você? Para nós, é a hospedagem aonde cada detalhe é cuidado, oferece reduzido número de apartamentos e o hóspede se sente acolhido como se estivesse em casa. Se você procura hotel na República Tcheca para a sua próxima viagem, conheça os que sugerimos neste artigo, porque todos foram concebidos sob esse conceito.

Experiencia de viagem Luxo Natureza
Seis espaços naturais aonde você pode sentir o outono na República Tcheca

Embora você não precise de motivo especial para viajar à República Tcheca no outono, os adornos que a natureza usa nessa temporada são tão incríveis que você deve deixar de lado a melancolia e partir à conquista dos parques, montanhas e florestas tchecas.

Experiencia de viagem